30.12.10

e o tempo que trate do resto



"espero que saibas o que estás a fazer, quem sou eu para vir agora dizer o que quer que seja, não é verdade? já disseste tudo!
dou-te os parabéns por seres quem és agora, sinceramente ontem duvidei que tivesses mudado, mas ao ler este discurso bem preparado noto que já não és o mesmo e fico triste. os meus ideais nunca os escondi, sempre os defendi e nunca os mudei. e tu sabes bem disso.
mas isso agora também não interessa.
ainda não fui capaz de pôr um ponto final em tudo como tu o fizeste. mas caga, dá-se tempo ao tempo.
é que eu ainda pensava que valia a pena... esse é que foi sempre o meu erro. acreditar que tudo volta. que nada se esquece.
sabes que mais? és ingrato. é triste dizer que tens pena de nós. não precisamos dessa tua pena. não percebi algumas das passagens que escreveste, mas tu lá deverás ter os teus motivos.
e pronto, é tudo. quer dizer, tudo nunca poderá ser, mas se é assim que queres, será.
quanto a ser apologista disto ou daquilo, não serás ninguém para nos julgar. mantinhas uma opinião e de repente essa opinião foi-se. e não iremos falar em respeito, não é verdade? saberás com certeza do que estou a falar.
tudo de bom" 



queria escrever mais alguma coisa, mas depois do que disse... nada mais há para dizer. 

6 comentários:

ritinhafernandes disse...

tem força!
(parece-me que precisas...) <3

Andrea Soares disse...

que lindo! *

jo disse...

há sempre mais alguma coisa para dizer, mas nada que valha a pena.

<3

saraviana disse...

gostei muito, mesmo. e foi muito bem dito :)

Vanessa disse...

Bom ano 2011 minha querida *

ti em mim disse...

uao :o muito muito intenso, adorei (: