19.12.10

mais uma vez



e foi assim. deixaste-me sozinha no fim da linha, a ver-te virar costas sem olhar para trás.  
nunca tiveste a noção do quanto me magoaste, a mim e a outros, que fizeram tudo por ti. não sou ninguém para julgar as tuas atitudes, cada uma segue as suas próprias escolhas, embora fique ferida por te teres afastado assim, sem uma palavra, sem uma justificação, sem nada... tão típico. fartas-te das pessoas e deixa-las num canto. tão típico. fechas o teu coração e desapareces. tão típico! 
cansei-me, sabes? há quem já se tenha habituado mas eu não consigo. desculpa, mas é indecente a forma como nos tens tratado. acabou tudo para ti, não foi? "xauzinho, obrigada por tudo que fizeram por mim mas agora fartei-me de vocês e a vida continua" não é assim, ingrato. pela segunda vez. 
ainda consigo olhar nos teus olhos, que embora não queiras são bastante transparentes e te traem na luta que fazes e na posição que tendes em marcar. deixaste um rasto de tristeza prender-se ao olhar, ainda consigo lê-lo. por isso é que ainda continuas por cá. pela tua falta de firmeza. e assim o teu nome é mencionado inúmeras vezes, a tua presença questionada, as mudanças faladas. 
tenho pena, juro que tenho. apesar da tua idade ainda não sabes como tratar os outros. não somos merda. não usas e abusas quando queres. no fundo sei que vais voltar mais uma vez, que vais sentir a falta. lembra-te que não somos perfeitos, tal como tu também não o és. mas talvez quando voltares seremos nós a virar-te as costas. amizade mais pura do a nossa não tinhas. e tu sabes. 
agora fica por aí, nesse monte de futilidade, inveja e mal-dizer. gosto de ti ao ponto de ter de te deixar ir, se é o que desejas e precisas. boa sorte 


afinal por vezes temos de deixar ir quem amámos 

5 comentários:

Sara Martins disse...

«afinal por vezes temos de deixar ir quem amámos» - sublinho sara! força*

Vanessa disse...

Está lindo sara !
Força para os momentos que se seguem *

jo disse...

deve saber o quanto isto me faz chorar, e o quanto as feridas me arderam ao ler isto.
está a doer muito sara, o virar de costas, o silêncio forçado, os gestos calados.
não imagina como me custa ver a tristeza naqueles olhos transparentes e por ter que deixá-lo ir, nada poder fazer.
tal como eu, dizes que lhe vais virar as costas também se ele precisar de nós mais tardes, mas tal como eu, também sabes que vai ser das atitudes mais dolorosas das nossas vidas.
mas amar também é deixar ir, é deixar partir ao rumo de uma nova aprendizagem.

mas o que me vale nestas alturas que se têm repetido muitas vezes, és mesmo tu, que me entendes melhor que ninguém.
amo-te, por estares sempre comigo.
amo-te, por tudo. <3

ricardo disse...

"quem ta tá, quem n ta que se foda"
cada um escolhe o seu rumo, so temos que aceitar..
força sarita* Bless and Love

Carina Alexandra disse...

obrigada!
adoro os teus textos *.*